QUEM ESTÁ NAS MÃOS DE QUEM?

0
88

Muitos acreditam que a paz interna de uma pessoa demenciada esteja ligada a dosagem de medicamentos.

Muitos acreditam que é simplesmente pegar um ser e adapta-lo a nossa rotina que na maioria das vezes não era a dele. Muitos acham que é apenas ajustes de medicações para mais ou menos e esquecem que por mais que o diagnóstico se constate a demência, estamos lidando com uma pessoa.

Há uma pessoa a mais em sua casa, ou você é uma pessoa a mais na casa dele. Quem está na casa de quem? Quem está ocupando, interferindo, usando, mandando na casa de quem?

Como era a pessoa antes do diagnóstico? Como agia, como pensava? Quem mandava? Quem obedecia?

Quem agora está nas mãos de quem?

É preciso nos ater a estas mudanças na vida do outro, muitas das vezes moravam sozinhos, não tinha barulho, não havia gritos de crianças, conversas altas, era independente, não precisava de ninguém ao seu redor lhe dando ordem ou lhe impedindo de se fechar dentro de sua própria casa ou sumir por alguns dias.

De repente, a pessoa demenciada se vê sendo cuidada por quem ele sempre maltratou, quis abortar, abandonou, xingou, fez o inferno na vida do Cuidador e agora tem que submeter as suas ordens.

Que remédio dá paz a uma alma aflita?

Que remédio faz dormir uma pessoa que não entende por qual razão está de fraldas?

Uma pessoa que hoje fica encostada as custas dos outros, que para tomar um banho precisa de alguém estar mandando, brigando, gritando, exigindo???

Todas as pessoas, demenciadas ou não, tem seus lapsos de memória, por alguns momentos elas se lembram de quem foi, o que fez, só não entendem a razão pela qual estão nessa situação.

Neste caso, cabe ao Cuidador entender que não está lidando com um bebezinho, mas sim com um homem que um dia teve sua memória em perfeito estado e que hoje luta para entender o inexplicável.

Berna Almeida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui